VSM - mapa de fluxo de valor
|

VSM: 6 passos para implementação na sua empresa

VSM – Value Stream Mapping, em português é traduzido para mapeamento do fluxo de valor ou mapa de fluxo de valor. O VSM é uma das ferramentas da metodologia Lean Manufacturing, que ilustra os fluxos de materias e de informação do processo. Assim, é possível identificar quais etapas do processo agregam valor para o produto ou serviço com o objetivo de eliminar os desperdícios do processo. Legal, não é mesmo? Neste blogpost, você entenderá o que é VSM, como e quando você deve utilizá-lo. Vamos lá?



O que é VSM?

Primeiramente, antes de falarmos quando e como você deve implementar o VSM, é muito importante que você entenda o que realmente é o mapa do fluxo de valor. De uma forma muito simples, mapa do fluxo de valor ou VSM é um método que surgiu da filosofia do Lean Manufacturing e visa analisar e otimizar as etapas de um processo produtivo, seja ele o de um produto ou serviço.

Sendo assim, o VSM fornece uma análise completa de todo processo de produção de um produto ou serviço. Ou seja, é contemplada a representação tanto do fluxo de material quanto do fluxo de informações que ocorre desde a compra com o fornecedor até a entrega para o cliente final.

Todo este mapeamento tem o objetivo de buscar a eliminação de desperdícios, redução de lead time e implementação de melhorias.

O que é um fluxo de valor?

O fluxo de valor é, em síntese, o fluxo de materiais e informações necessárias para a entrega de um produto ou serviço ao cliente final. Veja só, no mapa do fluxo de valor, todas essas etapas são representadas em um desenho, fornecendo uma visão total das etapas do processo e, neste caso, do que pode ser melhorado.

Como e quando utilizar o VSM?

Por ser uma metodologia que tem como principal objetivo fazer análises dos processos de uma empresa a fim de otimizá-los, para que essa metodologia funcione, é importante que uma empresa tenha os seus processos muito bem definidos.

Em negócios que ainda estão em uma fase de maturação, sem processos muito bem definidos, há grandes chances do VSM não ser implementado de forma correta. Contudo, para aquelas empresas que já estão começando a se estruturar e que já têm os seus processos definidos, é possível começar a usar o VSM.

Passo a passo para implementação do VSM

Agora que já te expliquei o que é o VSM e para o que ele serve, nada melhor que deixar algumas dicas para você colocar a mão na massa, não é mesmo? Sendo assim, vou compartilhar com você seis principais passos para a implementação do VSM.

Passo 1 – Determinar o escopo do VSM

Como primeiro passo para implementar o VSM, é importante que você selecione o grupo de produtos que você fará o mapeamento. Assim como falamos antes, é importante que você tenha os processos desse grupo de produtos muito bem definidos, para que o mapeamento possa ocorrer da forma mais precisa possível.

Passo 2 – Colete os dados do seu processo

Veja só, essa é uma das fases mais importantes do VSM. Para que o mapeamento aconteça da melhor forma, é fundamental que você se empenhe no processo de coleta de dados.

Quando falamos em coleta de dados, muitas pessoas acabam ficando em dúvida em relação ao tipo de dados que devem ser coletados. Sendo assim, no processo de mapeamento do fluxo de valor, é importante que você colete:

  • Tempo de ciclo de cada processo
  • Tempo de setup
  • Disponibilidade de máquina
  • Número de colaboradores e de turnos de trabalho para a produção
  • Demanda dos clientes
  • Tipo de informações que são enviadas e recebidas durante o processo

Tendo esses dados bem consolidados, você já consegue começar o mapeamento.

Passo 3 – Estruturação do Cenário Atual

Agora que você já tem todos os dados referentes à produção atual, é importante que você faça um desenho/estruturação de como está o cenário atual dessa linha de produção. Dessa forma, nessa estruturação, é importante que você destrinche cada etapa do processo. Assim, você conseguirá ver como está a linha de produção atual desse produto que está sendo analisado e assim poderá fazer alterações que visem otimizá-lo.

Ícones utilizados no VSM

Antes de mostrar a você um exemplo de mapa de fluxo de valor, vou apresentar os ícones que são utilizados no mapa. Nesta imagem estão os ícones utilizados para a representação do fluxo de material.

Fonte: Campos et al. 2017

Nesta outra imagem estão os ícones que são utilizados para representar as informações do processo.

Fonte: Campos et al. 2017

Mapa do estado atual

Além disso, agora que você já conhece os ícones do VSM, posso te mostrar um exemplo de mapa do estado atual bem completo! Veja só:

Fonte: Campos et al. 2017

Passo 4 – Avalie o fluxo de valor

Então, nesta quarta etapa é importante que, após estruturar o processo atual (imagem acima), você faça uma análise e encontre possíveis desperdícios que podem estar acontecendo na sua linha de produção.

É nessa fase de análise que você deve-se atentar ao que pode estar atrapalhando a sua produção. Além disso, é importante que você veja os custos de cada etapa, seja na compra da matéria-prima ou na produção do produto. É nesta etapa que você deve gastar a maior parte do tempo. 

Dica: ao analisar o fluxo de valor se pergunte “o que está agregando valor e o que pode ser eliminado?”

Passo 5 – Defina o estado futuro

Após fazer toda a estruturação e análise, você já sabe o que é necessário fazer para aplicar as melhorias no seu processo. Sendo assim, você já pode construir o mapa do fluxo de valor ideal para que sua operação elimine os desperdícios.

Fonte: Campos et al. 2017

Lembre-se que em qualquer linha de produção, sempre terão erros e gargalos a serem resolvidos, portanto, esteja sempre analisando (fase anterior) e otimizando os processos. Fazendo isso, com certeza a sua produção sempre estará em melhoria contínua.

Nesta etapa você deve montar o plano de ação para implementar as melhorias que identificou, ok? Você pode utilizar uma ferramenta como o 5W2H para isso.

Passo 6 – Repetição

Por fim, o processo de mapa de fluxo de valor é um processo que precisa ser repetido constantemente. Sempre existirão melhorias a serem feitas e, deste modo, você estará buscando cada vez ser um pouquinho melhor, 1% melhor a cada dia. Legal, não é mesmo?

Uma última dica: caso a sua empresa trabalhe com mais de um produto ou serviço, é importante que este processo seja feito de forma isolada na linha de produção de cada família de produto.

Benefícios do VSM

Em resumo, o VSM é muito utilizado, principalmente na indústria, para redução e eliminação de desperdícios. Os benefícios da ferramenta são diversos, mas destaco os seguintes:

  • Maior otimização no processo de produção
  • Redução nos desperdícios
  • Maior controle sobre os processos da empresa
  • Facilidade na análise das KPI’s e da gestão da empresa como um todo

E aí, vamos aplicar a ferramenta na sua empresa? Assim que você o fizer, não deixe de vir me contar como foi!

Até o próximo conteúdo,

supere os desafios de um cio e transforme workflows em processos automatizados

Artigos Similares

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

A Zeev coleta, via cookies, dados essenciais para o funcionamento do site e métricas de acesso. Saiba Mais.