Transformação de Negócios ou Melhoria Contínua em Processos

Transformação de Negócios ou Melhoria Contínua?

Hoje em dia, muito se fala em Transformação de Negócios ou Melhoria Contínua em Processos. Veja esse fragmento do Gartner:



“Está ocorrendo uma mudança na área de BPM/BPMS, com o foco mudando de Melhoria Contínua em Processos para uma visão mais abrangente em Transformação de Negócios (Business Transformation). Confrontadas com mudanças internas e externas, as organizações têm uma necessidade maior de se reinventar”. Gartner – Magic Quadrant for iBPMS

É com esse pensamento que vou guiar nossa conversa semanal aqui no blog. Lembre-se dele!

Agora, antes de começarmos, questiono: você sabe de fato o que é a Transformação de Negócios e a Melhoria Contínua em Processos? E a diferença entre eles? E qual a relação com BPM? Falo sobre tudo isso nesse post. Acompanhe!

O que é Transformação de Negócios?

Transformação de Negócios, ou Business Transformation (BT), consiste em realizar profundas mudanças no modelo de negócios e arquitetura de processos da organização, de modo a se adaptar a grandes mudanças, internas ou externas.

A Internet, os smartphones, a economia colaborativa, as redes sociais, a globalização, as gerações Y e Z, o movimento verde, a descentralização do conhecimento, etc., são todos fatores recentes que permitiram a criação de novos modelos de negócios e, ao mesmo tempo, tem forçado organizações já existentes a se adaptarem radicalmente.

Uma ferramenta bastante utilizada como método de análise para transformação de negócios é a Estratégia do Oceano Azul, que faz a empresa refletir sobre seus atributos de valor mais relevantes.

O que é Melhoria Contínua em Processos?

A Melhoria Contínua em Processos – também chamada de MCP – deve ser uma atividade constante de todos os setores da empresa, com o objetivo de manter a organização competitiva no mercado.

A ferramenta mais conhecida e utilizada é o ciclo PDCA, ou Plan-Do-Check-Act. Ela demonstra que as atividades de planejar, realizar, monitorar e ajustar melhorias em processos são um fluxo constante e contínuo.

Há ainda, a também muito conhecida, metodologia do Kaizen, que do japonês significa “melhoria” ou “melhoria para melhor”. O Kaizen é largamente utilizado pelas empresas que empregam a filosofia Lean e o Modelo Toyota de Produção e consiste em ciclos frequentes de PDCA.

Melhoria Contínua de Processos refere-se aos esforços cíclicos e repetitivos de melhorias, geralmente incrementais, em processos de negócio das organizações.

Veja também:

E qual a relação da Transformação de Negócios e da Melhoria Contínua em Processos com BPM?

Quando fazemos a relação da Transformação de Negócios com BPM, notamos que não estamos mais falando do BPM tradicional, que busca a eficiência operacional, compliance, transparência e a redução de custo, leadtime e assim por diante. Aqui, o foco é em inovação e através dela entregar valor ao cliente (e reter valor internamente). E é justamente aqui que entra a percepção da jornada do cliente, do impacto dos seus processos na satisfação dele.

Pensando assim, podemos dizer que a Transformação de Negócios aplica o BPM Transformador. Este, por sua vez, atinge o modelo de negócio da sua organização. Ele modifica a estrutura dos processos organizacionais para entregar valor ao cliente.

Já, por outro lado, quando estamos falando de Melhoria Contínua de Processos, estamos, de fato, falando do BPM Tradicional e todos os conceitos que conhecemos sobre a disciplina: notação BPMN, modelagem de processos, tarefas, etc. Neste cenário estamos, de fato, falando da busca pela eficiência operacional, alinhamento com a estratégia, redução de tempo de operação, aumento de produtividade e tudo mais. Ou seja, o sucesso do projeto depende do seguimento exato do processo definido pelos envolvidos.

 


Mas calma, um não anula o outro

Não é porque estamos trabalhando em uma inovação e em um processo de transformação de negócio que não podemos usar o BPM tradicional. Eles são complementares. No BPM Transformador a adesão a processos também é importante, pois ele é um avanço ao BPM Tradicional. Ou seja, o BPM Tradicional é a base estruturada para a evolução ao BPM Transformador.

Lembra que eu pedi a você para que guardasse o pensamento inicial da nossa conversa de hoje? Pois então, ela tem relação justamente com tudo que conversamos até aqui.

A chegada da visão do BPM Transformador aplicada aos seus processos de negócios e ao modelo de negócio que saiu do meio comum, do processo padronizado e da busca pela eficiência operacional e que se voltou à jornada e satisfação do seu cliente.

Por fim, seja transformação de negócios ou melhoria contínua, nesse ambiente de inovação e de centralização do processo em relação ao cliente o aprendizado é constante. Errar e aprender rapidamente é permitido. Incrementar  os ciclos de entregas com essas lições é valioso, e uma quebra de paradigma.

Até mais!

Artigos Similares

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

A Zeev coleta, via cookies, dados essenciais para o funcionamento do site e métricas de acesso. Saiba Mais.