business intelligence

Business Intelligence: o que é [com exemplo de aplicação]

BI — business intelligence — abrange a análise de dados históricos e atuais utilizados para tomada de decisões estratégicas. Neste blogpost falaremos um pouquinho mais sobre o BI, que é utilizado por muitas empresas para acelerar as análises de informações.



O que é business intelligence?

O Business Intelligence (BI) ou, em português, inteligência de negócios, é um conceito que abrange a coleta, armazenagem, tratamento e análise de dados. A aplicação deste conceito é comumente realizada a partir de ferramentas de BI. O benefício principal dessas ferramentas é a combinação de mineração, visualização e análise de dados que proporcionam a aplicação do business intelligence em tomadas de decisões estratégicas nas organizações.

Hoje, o business intelligence faz sucesso entre as empresas mais inovadoras. Sendo utilizado também para definição de estratégias e planos de ação.

A aplicação do BI visa transformar um grande volume de dados ou informações em uma análise aprofundada e inteligente dos dados que geram insights para o negócio.

Como o business intelligence funciona?

Na prática, o business intelligence ajuda na obtenção de respostas e acompanhamento de dados. Pense comigo, o BI ajuda os usuários de negócio a obterem direcionamentos que os ajudam a tirar conclusões inteligentes através da análise dos dados. É como se na hora de montar a estrutura do BI, as empresas listassem perguntas que precisam que sejam respondidas para análises imediatas e tomada de decisões. Vou explicar melhor como isso funciona.

O processo de BI é composto por 4 etapas: coleta e transformação de dados, análise de dados, compartilhamento e monitoramento.

Coleta e transformação de dados

Na coleta dos dados é o momento em que são definidas quais informações são úteis para o negócio, lembra das perguntas? É neste momento que elas são definidas. Esses dados são gerados pelos processos da empresa e, normalmente, as ferramentas de BI extraem, transformam e carregam esses dados para onde serão facilmente consultados.

Análise de dados

Após os dados coletados, a ferramenta de BI utiliza de automações para realizar as análises. Ainda sim, devem existir métricas que guiem os usuários de negócio na hora da interpretação dos dados.

Além disso, as ferramentas de business intelligence também oferecem a previsão de tendências e até recomendações frente a situação apresentada. Interessante, não é mesmo?

Compartilhamento

Usualmente, os relatórios são feitos em dashboards interativos, que proporcionam uma boa análise visual das informações e são facilmente compreensíveis. Além disso, facilita o compartilhamento das informações entre os usuários de negócio.

Esses dashboards podem apresentar gráficos, painéis de dados, mapas e outros tipos de visualização de dados que ajudem os usuários a trocarem ideias, analisarem as informações e tomarem as melhores decisões.

Monitoramento

Os dashboards fornecem aos usuários a oportunidade de transformarem a análise de dados, rapidamente, em planos de ação. Isso ajuda a organização a eliminar ou corrigir problemas e ineficiências em processos críticos. E isso deve ocorrer de forma cíclica e constante.

Lembra-se que mencionei que empresas inovadoras gostam deste conceito? Então, é porque o business intelligence as ajuda a adaptarem-se rapidamente às mudanças de mercado. Sendo assim, é importante que o monitoramento seja constante e busque sempre por novas fontes de dados (novas perguntas), que enriqueçam mais ainda as análises para a organização.

Onde aplicar o BI?

Qualquer empresa pode utilizar o BI para analisar dados e melhorar operações. Do restaurante à indústria. Quando falamos em setores, a resposta é a mesma: qualquer setor, desde o atendimento, passando pelas operações, administrativo e até o suporte técnico, podem utilizar o BI para tomar decisões estratégicas e melhorar seus processos. Do escritório ao chão de fábrica.

Exemplo de aplicação do business intelligence

Para facilitar sua compreensão, vou compartilhar um case que conheço. É o case de uma organização que utiliza uma ferramenta de BPMS low-code para automatizar os fluxos de trabalho da área de contratos.

O que quero mostrar para você, neste caso, é que eles utilizam uma API no BPMS para extração de dados que envia estes dados para a ferramenta de business intelligence, o power BI. Deste modo, a análise de dados realizada pelo setor é mais rápida e rica de informações.

No dashboard do Power BI a empresa consegue avaliar toda a performance do processo, dos atores, das atividades, dos fornecedores. Veja só:

exemplo de business intelligence
Exemplo de dashboard no power BI

Então, há um painel (imagem acima) onde é possível verificar quantos processos estão abertos em cada modalidade, o tempo de execução do processo, a produtividade de cada analista, o SLA médio e outros. Ou seja, eles conseguem avaliar uma série de dados por meio da API de extração de dados e quando identificam algum problema eles corrigem o processo.

Com isso é possível controlar cada vez mais o processo e garantir que o tempo do analista da área seja dedicado a análises estratégicas e não perdido realizando tarefas burocráticas que podem ser automatizadas.

E aí, gostou do conteúdo de hoje? Até o próximo!

Stories

Mais de Low Code

mulher apontando para o assunto do post: a diferença entre low-code e no-code

Low-code e No-code: quais são as principais diferenças e vantagens

Primeiramente, com o crescente desenvolvimento da tecnologia na atualidade, podemos perceber o surgimento de aplicações cada vez mais eficientes. Essas aplicações, além de tornar as atividades de TI mais enxutas, permitem que outras pessoas também utilizem dessas tecnologias. Um exemplo a citar disso são as plataformas Low-Code e No-Code. No entanto, apesar de serem conceitos bastante…

Como eu, que não sou de TI, criei soluções e aplicativos de processos?

Como eu, que não sou de TI, criei soluções e aplicativos de processos?

Recentemente, aqui no blog, a Bruna escreveu um texto fantástico sobre quem utiliza low-code para criar softwares. Esse texto dela fala que todo mundo pode criar um software, que todo mundo é um criador! Então, baseado nisso, eu vim aqui para contar a minha experiência de como utilizar o low-code! Para mostrar que realmente, todo…

Ferramenta BPM: 6 ferramentas para gestão de processos

Ferramenta BPM: 6 ferramentas para gestão de processos

Já sabemos que o BPM (Business Process Management – Gerenciamento de Processos de Negócios) é uma prática mundialmente adotada por organizações, de todos os tamanhos. E muitas ferramentas utilizam tecnologia para pôr isso em prática. Ou seja, utilizam ferramentas que permitem a modelagem dos processos de negócio da empresa. Dito isso, neste post vou compartilhar…

Porque Zeev é low-code

Por que Zeev é low-code?

Este texto é para explicar por que o Zeev é low-code. Vou contar para você isto e trazer também um exemplo de como ele funciona na prática! E como ele pode facilitar a sua rotina de trabalho e a da sua empresa.  O Low-code Sabemos que existem dois tipos de plataformas que vem ganhando cada…

Artigos Similares

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

A Zeev coleta, via cookies, dados essenciais para o funcionamento do site e métricas de acesso. Saiba Mais.

Blockchain: o que é e como funciona essa tecnologia? 5 plataformas Low-Code que vão revolucionar sua empresa